domingo, 4 de setembro de 2011

Curiosidades
O seu nome científico é "Betta Splendens", e mais comumente chamado de “Peixe-de-Briga”, por sua postura agressiva com relação aos demais membros da sua espécie. Seu nome foi tirado de uma tribo guerreira, temida por sua grande agressividade, chamada "Ikan Betta", originária do antigo Sião, onde o Betta é nativo. O nome “Splendens” vem do latim esplendoroso. As fêmeas se forem criadas juntas desde pequenas não se tornam agressivas.
Como o Betta não precisa obter o oxigênio pela guelra, ele consegue sobreviver em águas paradas com baixos níveis de oxigenação. Não confundir com águas poluídas. São anabantídeos, que possuem um órgão a mais de respiração, que armazena o oxigênio absorvido na superfície da água, para ser consumido aos poucos. Por isso de vez em quando você o observa indo até a superfície.
Os Bettas gostam de água velha, com PH entre 6.8 e 7.0, e temperatura entre 25 e 27 graus. Se criados em aquários com plantas flutuantes e cascalho natural de rio, se sentirão muito mais a vontade.
Nunca devemos colocar dois Bettas num mesmo aquário, pois brigarão até a morte. Podemos sim, criar vários Bettas em beteiras individuais e colocá-las próximas para que os Bettas possam se exercitar, mostrando seus “dotes”, um para o outros. No caso de ter somente um exemplar, poderá usar um espelho para simular a presença de outro Betta. Para evitar riscos de estresse, tais procedimentos podem ser usados por uma a duas horas diárias.

Reprodução
Existem várias formas de conseguir a reprodução dos Bettas. Abaixo segue uma delas, considerada mais comum e mais simples, mas você pode obter mais detalhes em sites específicos:
. Preparação do aquário: o aquário de reprodução ideal é de 40x19x23 (tamanho padrão encontrado nas lojas especializadas), quanto mais espaçoso for o aquário, melhor, facilitando a fuga da fêmea quando ocorrer investidas agressivas por parte do macho, melhores níveis de oxigenação após o nascimento dos alevinos, e melhor difusão das concentrações de matéria orgânica gerada no ambiente. Manter um nível de 1/3 de água (8cm), evitando pressão muito alta para os alevinos, além de facilitar o trabalho do macho ao buscar os ovos no fundo do aquário. Manter uma temperatura entre 25 e 27 graus. Caso haja necessidade de aumentar a temperatura, usar um termostato de qualidade. Para evitar riscos com este acessório, você poderá colocar seu aquário dentro de um outro aquário, ou recipiente maior, também com água no mesmo nível, e aquecer este recipiente, que por osmose manterá a água do aquário principal estável. Deve também manter uma lâmpada de 15 watts para iluminar o aquário durante 24 horas. Para servir de apoio ao ninho deve-se usar plantas flutuantes, um tronco tratado que fique com a ponta para fora d’água, ou um pedaço pequeno de isopor. Pingar uma ou duas gotas de fungicida para evitar riscos de fungos nos ovos.
. Colocação do macho no aquário: ponha um macho adulto (mais de 5 meses de idade), que seja maior do que a fêmea, pois se ela for do mesmo tamanho ou até maior que o macho o abraço "nupcial" pode ser impossível de acontecer. O macho deve ser bonito, com nadadeiras formadas, e de preferência já tenha o hábito de construir “ninhos de bolhas” no seu aquário individual, demonstrando um instinto reprodutivo avançado.
. Colocação da fêmea no aquário: corte na metade uma garrafa “pet” de dois litros transparente (pode-se usar as garrafas tradicionais de Coca), lave bem, encha de água até 10cm (como deve ficar no mesmo nível do aquário de reprodução, terá um nível um pouco maior, pois elevará o nível do aquário de reprodução ao ser colocada dentro dele). Ponha uma fêmea nessa garrafa, de menor tamanho que o macho, com o ovopositor à vista e com listras verticais pelo corpo, e logo após ponha a garrafa no aquário de reprodução. Coloque de um jeito que não fique encostado nas paredes do aquário, para evitar que ele construa o ninho grudado na garrafa.
. O namoro: o macho exibirá seu porte, abrindo as nadadeiras e opérculos, quando avistar a fêmea na garrafa. Ela ficará com uma cor mais acentuada e agitada. Após duas horas o macho já deverá dar início à construção do ninho, mas caso isso não ocorra, junte o macho e a fêmea por 15 minutos no aquário e separe-os novamente. Isso deverá excitá-lo, motivando-o na construção do ninho, mas se mesmo assim não conseguir, você poderá incentivá-lo colocando um pedaço de um ninho de bolha construído por outro Betta. Pode ser também que ele ainda não esteja preparado para o ato.
. Acasalamento: depois de 24 horas de namoro e construção do ninho, junte os dois. O macho irá perseguir a fêmea, podendo inclusive agredi-la algumas vezes. De 12 a 24 horas, o macho conduzirá a fêmea para debaixo do ninho, e dará início ao abraço nupcial. Após o terceiro abraço a fêmea começará a expelir até 20 óvulos por vez, podendo totalizar de 250 a 500 óvulos. A medida que os óvulos são expelidos o macho solta o esperma para fecundá-los, e logo em seguida pega com a boca cada ovo, já fecundado, e fixa-os no ninho (algumas fêmeas ajudam o macho nesta tarefa). Quando você reparar que a fêmea não desova mais, tire-a do aquário, para evitar que o macho a machuque. Coloque-a em outro aquário, sozinha, alimentando-a bem para recuperar do desgaste físico.
. Nascimento: a eclosão dos ovos dura de 24 a 48 horas, período no qual o macho ficará vigiando o aquário inteiro para ver se nenhum "intruso" está por perto para comer os ovos de sua ninhada, além de comer aqueles que por ventura venham a ser atacados por fungos. A eclosão dependerá da temperatura (quanto mais alta, menor o tempo), e assim que os alevinos nascerem, irão se alimentar por dois dias dos seus sacos vitelinos. Mais ou menos durante quatro dias, após a eclosão, os alevinos ficam na posição horizontal, mas quando começarem a nadar na vertical, retire o macho do aquário, pois não terá mais utilidade e poderá comer os seus próprios filhotes.

8 comentários:

  1. Obrigado o site mais bem esplicado amigo parabéns

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. ola muito pbrigado pelas duvidas tiradas parabéns!!

    ResponderExcluir
  4. Oi, pessoal, estou precisando da ajuda de vcs. Estou muito triste pois, meu peixinho morreu nessa última teça-feira (17/06/2013). Pra falar a verdade estou arrasada, porque o bichinho era uma figura... Gostaria muito que vcs pudessem apontar todos os erros que cometi ao cuidar dele. Não tenho a menor experiência e procurei fazer o melhor para ele. Mas acho que meu melhor foi o pior, porque ele ficou comigo por apenas três meses. Eu fiz o seguinte:

    CUIDADOS COM O AQUÁRIO:

    * Comprei um aquário pequeno de 4 litros, termômetro e aquecedor. Deixava a água entre 25º/27º. Usei cascalho natural porque as pedras que vieram naquela beteira menor eram coloridas e soltavam tinta na água.
    * Usei água da mina ao invés da água da torneira, fiquei com medo do cloro machucar o Flyper.
    * Fazia a troca da água semanalmente e trocava toda a água. Deixava a água nova com o aquecedor para que ele não estranhasse a temperatura.
    * Desinfetava as pedras de cascalho e uma plantinha artificial com água sanitária, assim como o aquário, deixando tudo de molho por aproximadamente 5 minutos. Depois enxaguava tudo muito bem com água corrente.

    ALIMENTAÇÃO:

    * Comprei uma ração que todos dizem que é muito boa a Betamin. Dava a ele uma pequena quantidade três vezes ao dia.

    No domingo a tarde percebi que ele estava sem apetite e com o corpinho todo esbranquiçado, mas, ainda assim, ele comeu, por morar numa cidade pequena não pude conseguir a medicação de imediato, pois o comércio não funciona. Já na segunda feira ele estava todo amuadinho, sem apetite, com a nadadeira direita parada e escondidinho atrás das pedras (coisa que ele não fazia, pois era bem ativo). Fui até a loja onde o comprei e falei dos sintomas do peixinho, então o vendedor me indicou dois produtos da Labcom: Aqualife e Ictio. Falei à ele a litragem do aquário, que é 4 litros, e ele me mandou pingar 8 gotas de Aqualife e 4 gotas de Ictio. Depois de pingar a medicação percebi uma melhora no Flyper, no dia seguinte pinguei novamente a medicação e no fim da tarde ele morreu.

    Por favor, me respondam e apontem tudo o que fiz de errado. Quanto a quantidade da medicação foi correta? Achei que a água ficou com uma coloração muito forte, será que o tratamento não foi uma superdosagem?
    Esqueci de falar que quando percebi as manchas brancas no corpinho do peixe, corri e troquei toda a água do aquário porque achei que a água estava turva e por isso ele havia pego algum tipo de fungo e lendo na net alguém comentou que trocar toda a água pode ser fatal. Isso é real?
    Vou falar a verdade: estou me sentindo péssima. Acho que fiz tudo errado. Ele morreu por minha culpa.

    Por gentileza não deixem de me orientar para não cometer o mesmo erro com o próximo peixinho.
    Grata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida Cristiane dependendo do peixe que for agua sanitária jamais. Limpar semanalmente tudo bem e ração da boa ta certa.

      Excluir
  5. Você também não pode trocar a água toda do aquário.

    ResponderExcluir

Contador de Visitas

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | cheap international calls